Como usar as redes sociais para alavancar seu negócio?

Sabemos o quanto as redes sociais são importantes para a sobrevivência de todo negócio, e com certeza estas estratégias poderão impulsionar suas vendas.

Primeiramente preciso dizer que é muito mais fácil vender para quem efetivamente quer comprar seus produtos ou serviços.

Já tratamos aqui sobre a criação da Persona e como saber quem efetivamente compra de você.

Com o perfil da persona traçado, agora é a hora de entender em quais redes sociais ela provavelmente é mais ativa.

Qual a melhor rede social?

Analisando os números do Instagram e Facebook no Brasil, verificamos o seguinte cenário:

– 149,1 milhões de usuários de internet;

– 85% deste total dos usuários utilizam a internet todos os dias;

Facebook:

– Maioria do público tem entre 18 e 34 anos

– Cerca de 130 milhões de brasileiros possuem conta

– Segundo site mais visitado na internet

– 98% das empresas usam

Instagram:

70% dos brasileiros que têm acesso às redes sociais tem uma conta no Instagram.

67% acessam o Instagram várias vezes ao dia

83% dos entrevistados seguem alguma empresa ou marca na rede social

Fonte: https://www.amplificadigital.com.br/

Ou seja, estas tem, disparado, o maior tráfego entre todas as redes.

Nesse caso não existe melhor nem pior, mas como as duas têm juntas uma quantidade de pessoas gigantesca, certamente são os canais de maior alcance. Bom dizer que é o cenário atual. Daqui alguns meses poderemos ter outras redes sociais mais interessantes para serem utilizadas, como o tik tok, por exemplo.

Como o Facebook adquiriu o Instagram há algum tempo, não é de se espantar uma certa semelhança entre elas e a gestão das postagens nas duas é também um tanto quanto parecida.

Desta forma, pode-se economizar um certo tempo e mão de obra produzindo a mesma arte para os dois canais.

É possível atrair clientes gratuitamente?

Um grande problema dessas redes é o alcance orgânico, ou gratuito, que é extremamente baixo.

O que quer dizer que, ao postar uma mensagem em uma página do Facebook, ela é mostrada somente para cerca de 3% das pessoas enquanto acredita-se que no Instagram essa porcentagem chegue próximo a 7%.

Uso o termo “acredita-se” pois não há posicionamento oficial a cerca destes números, mas muitas pessoas que testam este tipo de entrega afirmam percentuais bem próximos a estes.

Portanto, a cada 100 seguidores, somente 3 e 7 pessoas, respectivamente, têm contato com suas postagens.

Sendo assim, é até possível atrair clientes pelas redes sociais gratuitamente. No entanto o tempo para crescimento do perfil e atração de possíveis clientes é muito, mas muito maior em relação às postagens pagas.

Vale dizer que Facebook e Instagram são empresas privadas, é através destes anúncios que elas faturam.

A melhor estratégia então é fazer os dois tipos de postagens, juntas.

Para postagens gratuitas frases motivacionais são sempre uma boa pedida para gerar comentários, curtidas e compartilhamentos.

Informações interessantes para possíveis compradores sobre seus produtos também são muito úteis, como já falamos a respeito de estratégias para gerar conteúdo.

Não fique contando seguidores, o mais importante é você atingir a pessoa certa com uma mensagem estruturada. Muita gente se preocupa absurdamente com isso. Ficam focadas em conseguir números gigantescos de seguidores, mas no fim das contas não conseguem monetizar seus perfis, pois ne sempre há engajamento de quem efetivamente compra algo.

Caso a sua comunicação seja efetiva, as vendas sairão normalmente ao longo do tempo.

Já para publicações pagas, é interessante que faça algum vídeo de vendas ou disponibilize algum conteúdo para download, mesmo que gratuito.

Geralmente as empresas postam materiais gratuitos em troca de e-mails de interessados.

Isso alimentará uma campanha de e-mail marketing que possui um alcance muito maior e com 100% de entrega, já que não depende de ninguém para sua mensagem chegar até o cliente.

Na verdade, existem inúmeras opções de anúncios, com metas diferentes para os anúncios pagos. Na conta de anúncios do Facebook, você é guiado para fazer “criativos” (como são geralmente chamados os anúncios) de forma bem fácil. A própria plataforma vai te guiando para que consiga alcançar o seu objetivo. É possível testar diferentes configurações e ver qual delas tem o melhor desempenho.

Como fazer postagens que atraiam possíveis clientes?

A publicação no Instagram baseia-se em imagens, que podem ser postadas juntamente com um texto, o que não é necessário, mas fundamental para qualquer estratégia de crescimento.

No Facebook é possível postar algo sem imagem, mas evidentemente o recurso visual é muito mais atraente. Já ouviu falar daquele ditado que diz que uma imagem vale mais do mil palavras, correto? Mas melhor ainda se juntarmos os dois, não acha?

Esta imagem pode ser tanto uma foto quanto uma arte.

Quando me refiro a arte, quero dizer que pode ser uma montagem com fotos, desenhos, textos, emoticons etc.

Sendo assim, dá para criar uma infinidade de diferentes artes juntando estes tipos de linguagem, utilizando uma ferramenta gratuita e bastante fácil de ser utilizada que é o canva.com

Com ela é possível editar fotos, textos, figuras, formas, estilos, efeitos e muitas ferramentas mais. Existem muitos modelos pré-fabricados de postagens com diversos formatos e customizá-los é tarefa bem simples.

Mesmo para leigos.

Vale a pena gastar algumas boas horas entendendo como fazer as melhores montagens.

Com tudo isso em mãos, é hora de dar sentido à postagem. É Preciso criar um conteúdo para estas artes e para isso utilizamos duas técnicas bem conhecidas: Copywriting para produzir textos persuasivos e Storytelling para criar histórias cativantes e envolventes.

Copywriting

Copywriting é uma forma de escrita que influencia as pessoas a tomarem uma ação. Mais conhecida como escrita persuasiva.

É como as campanhas de venda e Marketing Direto são construídas. Ou seja, é uma estrutura narrativa que leva o leitor a desejar algo.

Também é conhecido no meio digital como “Copy”.

Essa técnica é uma forma mais clara e simples de vender algo, baseando nos problemas das pessoas, para que os produtos vendidos sejam vistos como uma solução para elas.

Esse tipo de escrita é utilizada há bastante tempo através de grandes nomes da indústria de Marketing Direto como Robert Collier, Eugene Schwarts, David Ogilvy, Claude Hopkins e Gary Halbert.

No contexto do Copywriting, as histórias geralmente baseiam-se na estrutura: “Exponha o Problema – Agite o problema – Resolva o problema”.

Isso significa que estruturando uma história dessa forma temos muito mais chances de vender algo.

Existem diversas técnicas desenvolvidas nesse sentido, mas os modelos são bem semelhantes.

Na prática, é criada uma história com esses 3 momentos distintos. Começando a falar sobre um problema que a sua persona tem (problema que pode levá-la a comprar seu produto).

Em um segundo momento, listamos várias consequências desastrosas que esses problemas acarretam.

Por fim falamos sobre a “solução desses problemas” que no caso vai ser o seu produto.

Ninguém quer saber a respeito da sua empresa, as pessoas querem solução para os problemas que elas têm. Lembre sempre disso e pare de falar que trabalha na maior empresa disso, ou melhor empresa daquilo.

No final da história, sempre dê uma “ordem”, ou um CTA, Call-to-Action (chamada para ação), que o que você deseja que seja feito, geralmente um botão de compra ou cadastro.

De nada vale um texto persuasivo se não tiver um objetivo claro. Sempre sugira um CTA ao fim de uma copy.

E com esse roteiro é possível criar textos de vendas bem interessantes ou mesmo para criar uma lista de e-mails para campanhas de e-mail marketing.

Títulos Chamativos

Uma das funções do Copywriting é criar linhas que tenham um certo poder de chamar a atenção das pessoas. Estas linhas são chamadas de Headlines e são os títulos de suas postagens.

Uma boa técnica para criar boas headlines é utilizar frases impactantes que envolvam números e sejam extremamente específicos na mensagem.

Já se deparou com uma lista de “7 modelos de automóveis mais seguros para viagens” ou “7 passos para comprar um carro ideal para viver em grandes cidades”?

Eu mesmo utilizei essa técnica quando disse que levaria a você os 7 SEGREDOS QUE AS MAIORES AGÊNCIAS DE MARKETING USAM PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO.

O número 7 é bem emblemático, sempre aparece em títulos chamativos.

A especificidade, inclusive com números gera credibilidade. Pense em títulos instigantes para cada postagem. Faça uma lista com vários deles e veja qual se casa melhor com a imagem e a mensagem que quer transmitir.

Tente quebrar o padrão das redes sociais. Use cores chamativas, que contrastem com os fundos dos sites.

Anote sempre que encontrar um bom título na internet. Ter um acerto de headlines pode te inspirar a criar seus títulos de postagens ou artigos.

Veja bons exemplos de headlines, retiradas do bom livro “Copywriting: Palavras que Vendem Milhões”, de Gustavo Ferreira.:

– As Pessoas que Lerem Esse Livro Ficarão com Seu Dinheiro

– O Segredo para Ser Próspero

– Como Descobrir no que Você é Realmente Bom

– Milhares Têm este Dom Valioso − Mas Nunca Descobrem!

Ou seja, coloque sua criatividade em ação e tente chamar a atenção para que seu post não seja mais um no feed.

Storytelling

É a arte de contar histórias, “Story” = História e “Telling” = Contar, contando.

Ao contrário do que você pode pensar, não estou aqui tratando de criar obras de ficção ou fantasia, mas técnicas que permitem sermos mais assertivos em transmitir mensagens;

Contar histórias é da natureza humana e fazemos isso há muito tempo.

Já se sabe inclusive que conseguimos assimilar informações com muito mais facilidade quando fazem parte de alguma história.

Então, criar uma certa história através de publicações é também uma estratégia que rende bons frutos.

Inclusive o recurso que tanto o Instagram quanto o Facebook possuem e têm grande sucesso entre as pessoas, se chama stories (histórias, em português). Como estes stories são divididos em vídeos ou imagens animadas com 15s de duração, é possível contar algo com vários deles em sequência.

Afirmo categoricamente que toda marca tem uma história. Todo produto tem uma história. Você tem uma história.

Então por que não contar histórias para promover um produto para o seu público?

Antes de qualquer coisa, tenha como meta ser o mais simples e objetivo possível. Quanto mais direto você for, mais eficiente será a transmissão de sua mensagem. Inclusive porque o objetivo maior de qualquer comunicação é passar um recado para ser entendido pela outra pessoa.

Sem entendimento, não tem comunicação.

Jornada do Herói

Esta é a forma mais conhecida de roteiros de muitas histórias. Muitos filmes seguem este padrão e inúmeros livros também.

Ela foi “criada”, melhor seria dizer “formatada” na década de 1940 pelo escritor Joseph Campbell. Ele percebeu que a maioria das histórias que já tinha lido se baseavam em etapas bem definidas. Pensando nesse formato, escreveu o livro O Herói de Mil Faces. No livro, ele ilustra como os textos têm geralmente a mesma estrutura, com um herói como protagonista que passava por vários desafios até conseguir seu objetivo.

Até mesmo a Bíblia e diversos outros livros sagrados também contam com estruturas bem parecidas.

Ele fez um grande levantamento durante seus estudos, que conta também com princípios da psicanálise para fundamentar seu modelo.

Anos depois, em 2007, Christopher Vogler baseou-se neste livro e formatou como 12 os passos que compõe a jornada do herói, em seu livro chamado A Jornada do Escritor.

É bem interessante a estrutura e pode ser muito útil para construção de histórias de sua empresa para o seu público.

Lembre-se, no entanto, de criar histórias na qual o seu cliente seja o herói. Como disse anteriormente, as pessoas não estão interessadas na sua empresa, mas sim na solução dos próprios problemas.

Uma história não precisa ser um texto gigantesco. Uma imagem pode ser uma história, ou um texto bem pequeno. O que importa é transmitir uma informação e causar uma certa transformação no leitor.

Propagandas na televisão costumam ser histórias de poucos segundos de duração e bem comunicativas.

O importante é saber que uma história bem contada sempre chama a atenção das pessoas e nada melhor para envolver seu cliente ou futuro cliente com a sua marca, com a sua história.

Hoje meu objetivo foi te contar que existem várias formas de produzir um bom conteúdo para as redes sociais. Entretanto é difícil trazer todos de uma forma bem enxuta. O conteúdo é fantástico e muita coisa boa pode ser usada para atrair clientes para o seu negócio.

Bom, depois disso tudo, gostaria de dizer que não há fórmula mágica. Tudo depende de muita pesquisa na internet e inclusive de seus concorrentes. Tente fazer pesquisas por hashtags (#) no Instagram e veja o que está sendo mais postado. É para isso inclusive que elas são utilizadas, para agrupar as mensagens marcadas com determinadas hashtags.

Vídeos costumam chamar muita a atenção também, tanto no Instagram quanto Facebook.

Lembre-se também que pessoas gostam de conectar com pessoas. Nada de tentar robotizar seus perfis e postar qualquer coisa só para dizer que está postando.

Pense que do outro lado há uma pessoa, não um número.

Quer saber mais? Mande uma mensagem para nós no formulário abaixo:

Quer mais clientes?

Preencha o formulário abaixo e receba uma proposta personalizada para seu negócio começar a atrair clientes através da internet.